COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

"A perícia vale o que vale o perito"

Por: Criminalistica Forense -> www.criminalisticaforense.wordpress.com

Referências: [1] – TOCHETTO, Domingos/Balística Forense:aspectos técnicos e jurídicos/Domingos Tochetto; colaborador José Carlos C. Fauri. Porto Alegre: Editora Sagra Luzzatto, 1999 ( Tratado de Perícias Criminalísticas). [2]– BalísticaForense/Disponível em: http://www.aspecgo.com.br/artigos/fb27690cca69e9be1f6508cba5677bd1.pdf

A Balística Forense é uma disciplina que faz parte da criminalística e tem como objetivo estudar as armas de fogo, sua munição e os efeitos dos tiros por elas produzidos, sempre que tiverem relacionados com infrações penais, visando esclarecer e provar de maneira técnica a sua ocorrência.

balistica forense perito

A balística forense é universalmente utilizada para a análise e a identificação das armas de fogo, dos projéteis e dos explosivos, em particular para a criminalística a balística é importante no conhecimento e reconhecimento das armas de fogo; dos projéteis e dos cartuchos vazios; dos explosivos, formadores da munição; do confronto do projétil com a arma que efetuou o disparo.

Na balística forense, para armas de fogo, existem dois métodos de identificação: identificação direta e a identificação indireta. Na identificação direta ou imediata, o exame é ralizado nela própria, ou seja, das suas características e peculiaridades distintivas. Já na identificação indireta ocorre o exame é feito através de estudo comparativo de características deixadas pela arma nos elementos de sua munição. Na identificação indireta, usam-se métodos comparativos macro e microscópicos nas deformações verificadas nos elementos da munição da arma questionada ou suspeita.

Segundo os estudos que são submetidos à balística forense, esta pode ser dividida em: balística interna, balística externa e balística dos efeitos.

balistica forense perito

A balística interna, conhecida também como balística interior, é a parte da balística que estuda a estrutura, mecanismos e funcionamento das armas de fogo, o tipo de metal usado na sua fabricação bem como, a sua resistência às pressões desenvolvidas na ocasião do tiro. As armas de fogo são criteriosamente analisadas nesse ramo da balística forense, assim sendo, além do estudo do funcionamento das armas, da sua estrutura e mecanismos, este ramo da balística descreve até mesmo as técnicas do tiro. Já a balística externa, conhecida também como balística exterior, estuda a trajetória do projétil, desde a saída da boca do cano da arma até a sua paradafinal (repouso). Esses ramo da balística analisa as condições do movimento, velocidade inicial do projétil, sua forma, massa, superfície, resistência do ar, a ação da gravidade e os seus movimentos intrínsecos. Por outro lado, a balística dos efeitos, conhecida também como balística terminal ou balística do ferimento, estuda os efeitos gerados pelo projétil desde que abandona a boca do cano até atingir o alvo.

Para findar, este pequeno conteúdo sobre balística forense, podemos dizer que a perícia de balística forense, além de servir como meio de prova, tem um valor todo especial, pois dela depende, em muitos casos, a condenação ou absolvição de um acusado que cometeu uma infração penal com arma de fogo.